07/12

Empresa de softwares para varejo Linx pede registro para IPO

A empresa paulista de softwares para varejistas Linx submeteu à aprovação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) um pedido de registro de companhia aberta junto com solicitação para também realizar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

A operação, que envolve a venda de ações novas (oferta primária) e de outras detidas por um dos atuais acionistas (secundária), será coordenada pelo Credit Suisse, em parceria com Morgan Stanley, BTG Pactual e o Itaú BBA.

A empresa se apresenta como a líder no fornecimento de soluções de softwares para o setor varejista no Brasil, com 29% de participação de mercado. Com base num estudo da consultoria IDC, a empresa espera que este mercado cresça em média 18% ao ano até 2015 no país.

A companhia teve receita líquida de R$ 185 milhões em 2011. O resultado operacional, medido pelo Ebitda (lucro antes de impostos, depreciação, amortização, juros, na sigla em inglês) das operações continuadas foi de 56 milhões no período.

De acordo com o prospecto preliminar da oferta, a companhia pretende usar os recursos que serão levantados com a oferta primária para novas aquisições e para capital de giro.

O acionista vendedor é o GA Brasil II Fundo de Investimentos em Participações, instituição administrada pela Intrag, do Itaú Unibanco. A empresa também tem entre seus sócios o BNDES, com uma fatia de 21,7% no capital.

 

Fonte: terra.com.br

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.